quarta-feira, 7 de junho de 2017

21 de Abril de 1792 – O Herói Duvidado

Antônio de Souza-Lucrécio revoltou-se contra o Quinto Domínio. Suas motivações não passavam das de sempre [os revolucionários sempre provocam bocejos com suas indignações, que sofrem de inenarrável monotonia]: os elevados impostos, a fome dos camponeses, a boçalidade dos tiranos, a venalidade dos magistrados, e etc. etc. e muitos outros etc. O Quinto Domínio nada mais era do que a junção dos Quatro Potentados que dominavam o território brasileiro – esta junção [frustrando (como sempre) os que achavam que prenunciaria uma terra de leite e mel] levou a um Poder que conseguia ser mais Poderoso que os anteriores. O rebelde [como acontece com todos os rebeldes] rebelou-se contra esse estado de coisas e quis modificá-las. Acabou por modificar apenas o seu estado civil, de “vivo” para “falecido”, após a costumeira [e inexplicavelmente sempre inesperada] reação do Poder. Hoje [elevado a Herói] Antônio de Souza-Lucrécio é [com inteira justiça] incensado como Herói do Grande País de Hoje. Ave!

Trata-se da História Oficial, composta [normal e até esperavelmente] de pedaços alinhavados de memórias, documentos, desejos, opiniões e crassas falsidades, empacotadas em firme papel de propaganda.

Como não faltam encômios, as versões desabonadoras também não escasseiam: seria um traidor; teve medo; não teve muita importância na conspiração; era feio; sofria de coceiras; fazia rituais satânicos.

Diante do habitual debate, tem-se a vontade habitual de olhar a ponta do nariz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário