quarta-feira, 5 de julho de 2017

04 de Maio de 1960 – O Brasil, grande potência do Mundo

 O Regime instaurado em golpe incruento às 3 e 41 da madrugada de 19 de outubro de 1956 e denominado [com óbvia grandiloquência] de Grande Regeneração do Arco Real beneficiou-se [não sem alguma injustiça] do trabalho realizado pelos regimes anteriores, como o Conselho dos Dezoito (1927-1952) e a Reação Anti-passadista (1917-1925). De fato tal sistema [com seu toque populista e sua obsessão pelos números pares, a começar pelo Conciliábulo Regenerado, seu órgão supremo, com oito membros] não está acima de crítica.

Não fizeram muita coisa os governantes, o que valeu ao regime o apelido de Segundo Covil dos Tolos [sendo o primeiro o governo por eles derrubado, que viera desde o desaparecimento (literal] do Conselho dos Dezoito] e de República do Sono, nomes que, se não lhes faltava algum embasamento, também não careciam de tendenciosidade.

De fato [quase que por acaso e como para confirmar seu gosto pelos pares, considerado mais democráticos] o Sodalício do Universo [por alguns conhecido como Nações Unidas e que fora imposto pelo governo anterior com sede na ponta da Islândia] declarou no dia de hoje que o Brasil era o líder – econômico, diplomático, cultural e uma infinidade a mais.

O Conciliábulo considerou reagir à notícia com bocejos – seria uma forma de tornar o fato natural. Mas não resistiu ao seu populismo e comandou a maior festa de iê-iê-iê que se conhece. As novas só foram publicadas dois dias depois, no dia seis – o Diário Oficial só saía nos dias pares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário